10 mandamentos para sobreviver no Festival de Cannes (Em primeira pessoa)

Confesso que foi a minha primeira vez. Estava de alta. A RP de L’Oréal Paris tinha me avisado da primeira chamada: “Em Cannes tudo é uma loucura. Se você vier, eu preciso que você mentalices e sabe se adaptar às mudanças”. E sob essa premissa, aterricé na ensolarada Nice rumo ao Festival mais famoso do mundo.


Não é fácil sobevivir a Cannes. E eu digo isso por experiência própria. Passamos por lá 48 horas e não ganhamos para espanto nem para surpresas. Isso sim, como a experiência não é um grau, me vejo no dever de fazer esta espécie de decálogo de sobrevivência. Segui-lo ao pé da letra, e talvez (e só talvez) sobrevivas.


1. Entra na tua mala (sempre) um vestido longo. Sempre. Embora nem de longe vai pisar no tapete vermelho. É o mandamento número um de qualquer jornalista, camuflar com o ambiente, ser invisível, se tornar mais um. E tudo isso, em Cannes, requer um vestido longo. A melhor prova? Enfundada em um vestidazo de Alvarno (Entrar um vestido de esta assinatura é acreditar uma celebridade em menos de um minuto ) pude entrar sem que ninguém me dissesse nada no Hotel Martinez, epicentro do celebritieo, saltándome todos os controles de segurança possíveis (Que são muitos). No dia seguinte, já com uma simples calça fiz o teste e eu parei no primeiro controle. O resultado? Sempre, sempre, com vestido de noite.


2. Você aprenderá a usar os sentidos, até mesmo para as três da tarde. Eu sei, isso é pular todos os protocolos existentes. Mas os coquetéis na piscina do Martinez são feitos às três, quatro da tarde, sob um sol inclemente. Os comensais, de rigorosa etiqueta e bebendo champanhe, misturam-se com senhoras em biquíni, crianças com buchas-se na bomba da piscina e senhores lendo (ou fazendo que leem seus jornais.

Doutzen Kroes durante a entrevista que lhe fizemos em Cannes.

3.a. Cuidado com os dois no tapete vermelho. Embora não acredite, passa tanta gente por ela que você deve prestar atenção para não morrer atingida. E, um ponto a mais: se o seu vestido tiver fila, você está acabada. Impossível andar com dignidade todo o comprimento da red carpet sem tropezarte o tempo todo porque alguém está carregado em cima de sua cauda.


3.b. Se você conseguir foto no tapete vermelho, você é uma tipa com sorte (E rápida): Porque você vai encontrar dezenas de senhores e senhoras que te obrigam a andar o mais rápido possível. Isso sim, sempre com ótimos modais. Nesse sentido, treine antes o botão do selfie de seu dispositivo móvel. Fundamental que dispare rajadas de mais de vinte fotos por milésimos de segundo.


4. Aprenda o french-english: Em Cannes, ninguém fala de forma coerente um só idioma. O seu, o mais legal, é falar inglês e mudar para o francês. Ou começar em francês e seguir em inglês. Uma espécie de linguagem universal que você deve aprender para saber mais sobre qualquer coisa e que todo o mundo parece dominar com perfeição.


5. Não pense subir em um carro. Mas afaste-se o mais possível para eles. Em apenas dois dias, fui testemunha de dois acidentes. Ninguém cede o passo, é a verdadeira lei do mais forte. E total, a Croisette não é tão longa e bem que merece um passeio a pé. Mesmo com sandálias de 12 cms.


6. Se você tem o coração delicado, melhor ficar em casa. Porque pelo corredor do hotel você pode encontrar com Eva Longoria ou com Irina Shayk (No manto ou fato de treino, agora que ambas as peças são cool), como se cruzaras com seu vizinho. Isso sim, esqueça-se de receber os “bons dias” de sua parte. Conseguir um grunhido de sua parte já é bom.

Gravando no terraço do Hotel Martinez.

7. Esqueça-se de ter um plano fechado: O nosso para entrevistar algumas celebridades , ia mudando ao longo do dia. Bastava olhar para o e-mail para se encontrar um novo. Isso sim, dentro do caos, tudo está perfeitamente organizado e, no final, tudo sai. Esse sim que é um mistério que Iker Jiménez deveria investigar.


8. Se você vai para o Terraço do Hotel Martinez, pede um copo de água. Qualquer outra coisa será que seu cartão fique no vermelho. E quão boa é a água da Costa Azul! Nesse sentido, se deve comer ou jantar, afastar-se da Croisette. Subir uma rua já é descer o preço do menu, pelo menos, 30 euros.


9. Torne-se amiga dos locais. A maior parte deles são especialmente mal-café estes dias, é verdade. Mas se você cair na graça, o sucesso está garantido. O Objetivo primordial? Os aposentados. Tem tempo e se podem dar ao luxo de te dizer coisas que ninguém mais sabe. Nós tivemos a sorte de encontrar um, que ainda se prestou a nos levar em seu Mini (com luvas de couro e tudo).


10. E, por último, mas não menos importante, evita as águias no elevador. E falo de águias no sentido literal. Ainda não entendi porque pelo menos dez homens passeiam pelo (A) com águias (vivas) contemplam em suas mãos. O que eu aprendi com isso? Que os pobres animais estão tão fartos como tu, todo o clamor e que se você compartilhar elevador com eles pode-los por aletear um tempo em um escasso metro quadrado. O que significa que o “aletazo” seu rosto está coberto. repita comigo: Nunca empreste elevador com uma águia.


E se, finalmente, você sobreviver, parabéns! Já pode passeares pelo Serengeti sem medo algum. A fauna de Cannes é muito mais perigosa 🙂


PS: Se o computador de L’Oréal Paris, nada disso teria sido possível. Obrigado pelo vosso profissionalismo e paciência! (Mais info: encontre tudo paris.é)